Para os que se encontram inseridos no seio da comunidade de adeptos da canábis, a discussão indica vs. sativa parece ser infindável. Mas o que é que a genética nos diz realmente sobre características físicas, efeitos e paladares duma planta canábis?


COMPREENDER A TAXONOMIA DA CANÁBIS

Para compreender melhor as diferenças entre indica e sativa, é útil realizar antes uma análise mais geral sobre a taxonomia da canábis.

A canábis foi classificada pela primeira vez por Carl Linnaeus na década de 50 do século XVIII. Linnaeus acreditava que a ordem era monotípica (contendo apenas uma espécie), a qual batizou de Cannabis sativa L. Linnaeus, segundo o nome deste botânico sueco, que realizou esta classificação trabalhando com plantas de cânhamo que eram amplamente cultivadas em toda a Europa, na altura.

Em 1785, o naturalista francês Jean-Baptiste Lamarck publicou uma descrição de outra espécie de canábis, que diferia da variedade de Linnaeus. Lamarck designou esta espécie de Cannabis indica Lam., observando que esta produzia fibras significativamente mais fracas, mas que funcionava melhor enquanto inebriante. A sua descrição baseou-se nas plantas que colheu na Índia.

No século XX, o botânico russo D. E. Janichevsky identificou uma terceira variedade de canábis que crescia nativamente na Rússia, que hoje em dia conhecemos como Cannabis ruderalis. Nos anos 70, os taxonomistas e botânicos tentaram uma vez mais descortinar como classificar da melhor forma a planta canábis.

Embora ainda haja alguma discussão em torno da taxonomia indicada da indica, sativa e ruderalis, os cientistas acreditam que há diferenças suficientemente notáveis entre as variedades de canábis para justificar o seu reconhecimento como três espécies separadas. Para a finalidade deste artigo, só nos iremos focar nas variedades indica e sativa.

QUAIS SÃO AS DIFERENÇAS ENTRE A INDICA E A SATIVA?

As diferenças mais óbvias entre a indica e a sativa encontram-se nas suas características físicas. O botânico americano Richard E. Schultes e uma equipa de investigadores descrevem a sativa e a indica da seguinte forma:

  • Sativa: alta e frouxamente ramificada com folhas estreitas
  • Indica: mais curta com uma forma cónica e folhas mais largas

As principais diferenças entre a indica e a sativa podem ser explicadas olhando para as suas origens geográficas. Abaixo, analisaremos mais atentamente as muitas diferenças entre a sativa e a indica.

QUAIS SÃO AS DIFERENÇAS ENTRE A INDICA E A SATIVA?

CANNABIS SATIVA

A Cannabis sativa é nativa dos climas mais quentes e tropicais e pode ser encontrada a crescer naturalmente na Tailândia, Vietname, Colômbia, México e inclusive em algumas partes de África.

Para lidar com os verões longos, quentes e húmidos, as plantas sativa adaptaram-se crescendo altas, com maior espaçamento internodal, brotos finos e folhas mais estreitas. Isto ajudou naturalmente as plantas a permanecerem protegidas contra a alta humidade nestas áreas, além das ameaças como o bolor ou as pragas.

Como as plantas sativa tendem a ser mais altas, estas são tipicamente mais adequadas para cultivo ao ar livre. Elas saem particularmente bem nos climas quentes e tropicais, com verões longos.

DIFERENÇA DE CRESCIMENTO: A FLORAÇÃO ALONGADA

As plantas indica e sativa exibem taxas e padrões de crescimento drasticamente diferentes. No entanto, estas distinções só se tornam claramente visíveis durante a fase de floração.

Enquanto as plantas indica aceleram o seu crescimento, ganhando alguma altura e formando uma cobertura densa e cerrada, as plantas sativa passam por um alongamento considerável. A alteração do ciclo de luz ativa uma cascata hormonal que as leva a disparar rumo à luz. Em alguns casos, este fenómeno (designado "A Floração Alongada") pode levar a que as plantas dupliquem o seu tamanho. Quando plantadas bem profundo ou em recipientes grandes, as sativas podem crescer até aos 3 ou mais metros de altura.

CANNABIS INDICA

As plantas indica, por outro lado, são nativas das regiões mais frias e secas como as que se encontram no Nepal, Índia e noutras áreas do subcontinente indiano onde os verões são mais frios e mais curtos. Para lidar com estas condições, a Cannabis indica desenvolveu períodos de floração mais curtos e folhagem e brotos mais densos.

Graças à sua estatura mais pequena e fase de floração mais curta, as plantas indica são perfeitamente adequadas para o cultivo interior. Estas podem ser facilmente manipuladas utilizando técnicas de treino e tendem a produzir brotos agradáveis e espessos com imenso aroma e visual apelativo. Graças à sua velocidade de floração, as plantas indica também permitem que alguns cultivadores produzam múltiplas colheitas durante um período de tempo mais curto.

DISTINGUIR ENTRE INDICA E SATIVA

Os registos botânicos que datam do século XVIII detalham as diferenças visuais entre os dois subtipos de canábis. Estas distinções morfológicas surgem em toda a anatomia de cada subtipo, desde as folhas até às flores.

Sativa vs Indica

DIFERENÇAS NAS FOLHAS

A folha fornece um dos pontos de distinção mais fáceis. As plantas indica têm folhas lança mais largas com dedos mais espessos, enquanto as sativas produzem folhas lança mais estreitas e compridas com dedos mais finos.

Afastando-se um pouco das plantas, a maioria dos cultivadores consegue distinguir a diferença entre as duas tendo apenas como base a sua estatura. As plantas indica são mais arbustiformes e entroncadas, enquanto as variedades sativa são mais esguias, delgadas e com mais espaço entre os nós.

DENSIDADE DAS FLORES

Os dois subtipos também produzem flores com características distintas, embora seja necessário um olhar muito atento, ou alguém com muita experiência, para distinguir a sativa da indica quando se trata dos brotos bem cuidados. Já para não mencionar que a maioria das estirpes modernas são híbridas de ambos os subtipos, tornando praticamente impossível determinar o subtipo dominante observando meramente a flor.

Falando de forma geral, os brotos sativa são mais leves, mais compridos, mais finos e mais macios. Muito provavelmente, um saco de brotos sativa parecerá que contém muito mais material devido à escassez de densidade. Opostamente, os brotos indica são tipicamente muito mais compactos e firmes.

AROMA E PALADAR

As plantas indica e sativa produzem diferenças notáveis nos efeitos, mas é necessário ser um verdadeiro conhecedor de canábis para distingui-las apenas pelo paladar. Os fitoquímicos aromáticos conhecidos como terpenos sustentam o paladar e aroma vibrantes da erva e cada estirpe contém diferentes rácios destas moléculas.

As plantas sativa e indica puras apresentam perfis terpenos únicos que os fumadores experientes conseguem distinguir. Os brotos indica oferecem paladares mais doces e mais ricos, de mel e fruta, enquanto as plantas sativa produzem paladares mais terrosos e semelhantes a combustível.

AS INDICA E SATIVA PRODUZEM EFEITOS DIFERENTES?

Além das suas diferenças morfológicas, a comunidade da canábis também consegue distinguir que as estirpes sativa e indica em função dos seus efeitos. De facto, praticamente toda a comunidade da canábis concorda que as estirpes sativa são revitalizantes e energizantes, enquanto as estirpes indica são poderosamente sedativas.

Mas de onde adveio este consenso? Será que os efeitos da erva sativa e indica são assim tão diferentes? Na realidade, alguns especialistas afirmam que não há qualquer fundamento para utilizar os termos indica e sativa para descrever os efeitos da canábis.

Em 2016, a revista Cannabis and Cannabinoid Research publicou uma entrevista com o Dr. Ethan Russo, Diretor da Investigação e Desenvolvimento do International Cannabis and Cannabinoids Institute (ICCI). Nessa entrevista[1], Russo afirma que “é impossível termos como indica e sativa darem-nos realmente uma ideia dos químicos numa planta em particular e, por conseguinte, os efeitos que esta produz”.

Numa edição impressa do High Times, o Rev. Dr. Kymron deCesare, Diretor de Pesquisa no Laboratório Steep Hill, na Califórnia, fez uma reivindicação semelhante. Ele afirma que indica e sativa não nos conseguem dizer muito mais sobre uma planta além das suas características físicas.

The Entourage Effect

MISTURAS PERSONALIZADAS DE INDICA E SATIVA

A maioria das variedades de canábis que encontrará no mercado hoje em dia são híbridas, tanto com genética sativa como indica. Os nossos produtores especializados na Royal Queen Seeds, por exemplo, utilizam técnicas de cruzamento especializadas para produzirem estirpes com características únicas tais como tempos de floração mais curtos, paladares específicos, entre outros.

Além das diferenças físicas entre a indica e a sativa, alguma investigação sugere que as duas variedades podem conter diferentes concentrações de terpenos, o que pode ser outro fator por detrás do facto de produzirem efeitos diferentes. Por exemplo, algumas fontes atribuem a qualidade sedativa característica das estirpes de canábis "fortemente indicas" a uma alta concentração de mirceno.

O mirceno é um terpeno que se encontra em muitas plantas, incluindo lúpulo, tomilho, capim-limão, manga, cardamomo e, como é óbvio, canábis. Diz-se que proporciona um aroma terroso e ligeiramente apimentado e que, em concentrações altas, é considerado como sendo a fonte daquele efeito unicamente sonolento de algumas estirpes de canábis.

Além de analisarmos os compostos individuais como os terpenos e canabinoides, também é importante considerar como é que estes compostos interagem uns com os outros e, por conseguinte, alteram a nossa experiência com a canábis. O potencial dos constituintes químicos na canábis de interagirem uns com os outros é aquilo que os investigadores na linha da fronte da canábis a nível mundial mencionam ser o "efeito entourage”.

Terpenes

INDICA VS. SATIVA: MUITO MAIS DO QUE SE VÊ À PRIMEIRA VISTA

Neste artigo, esperamos ter dissipado alguns dos mitos que envolvem as diferenças entre a indica e sativa. Embora haja diferenças morfológicas nítidas entre as estirpes indica pura e sativa pura, as restantes distinções são mais difíceis de identificar e envolvem muito mais do que a mera genética. Ainda assim, as categorias indica e sativa permitiram que a comunidade da canábis desenvolvesse um idioma, segundo o qual classificam e diferenciam esta planta fascinante.

External Resources:
  1. The Cannabis sativa Versus Cannabis indica Debate: An Interview with Ethan Russo, MD https://www.liebertpub.com
Aviso legal:
Este conteúdo destina-se apenas a fins educativos. A informação fornecida é fruto do trabalho de pesquisa e de recolha realizada a partir de fontes externas.

TEM 18 ANOS OU MAIS?

Os conteúdos da RoyalQueenSeeds.com são aconselháveis apenas para adultos e reservados a pessoas com idade legal.

Certifique-se que conhece as leis do seu país.

Ao clicar ENTRAR, confirma
que tem
18 anos ou mais.