Tudo o que Precisa Saber Sobre Sementes de Canábis Feminizadas

Tudo o que Precisa Saber Sobre Sementes de Canábis Feminizadas

Se procura comprar sementes de canábis, pode deparar-se com todos os tipos de frases e expressões estranhas. Pode encontrar termos como sementes de canábis feminizadas, plantas fotoperiódicas, autoflorescentes, machos, fêmeas, híbridas, hermafroditas e muito mais. Se está a começar a cultivar erva, não há qualquer dúvida de que tudo isto pode parecer bastante confuso.

Mas não se preocupe! Estes conceitos podem parecer intimidadores, mas são perfeitamente compreensíveis assim que forem explicados. Embora queiramos explicar tudo de uma só vez, iremos abordar um conceito de cada vez, focando-nos nas sementes feminizadas por ora.

O QUE SÃO AS SEMENTES FEMINIZADAS?

Até há pouco tempo, se alguém estivesse a cultivar a canábis a partir da semente, havia sempre uma possibilidade de 50% de a planta ser macho. No entanto, apenas as plantas fêmea desenvolvem brotos ricos em canabinoides como o THC e CBD.

As plantas macho produzem vagens e, se sobreviverem o suficiente, polinizarão as plantas fêmea e reduzirão dramaticamente os seus rendimentos. Devido a isso, quem cultivava sementes normais tinha de identificar o sexo das suas plantas assim que possível para remover os machos.

No entanto, a criação das sementes de canábis feminizadas, nos anos 90, veio revolucionar o cultivo de canábis. As sementes de canábis feminizadas são geneticamente manipuladas para se tornarem apenas plantas fêmea, e fazem-no praticamente sempre (99,9%). Eliminando o acaso da equação, este avanço fez com que fosse muito mais fácil cultivar canábis, além de ser mais económico.

As sementes feminizadas tendem a ser projetadas para produzirem plantas fotoperiódicas. A canábis fotoperiódica floresce consoante as horas de luz/escuridão. Na natureza, a canábis começa a florescer no final do verão quando os dias começam a ficar mais pequenos. No interior, a canábis fotoperiódica é mantida na fase vegetativa até o cultivador estar preparado para induzir o florescimento através da redução das horas de luz.

SEMENTES DE CANÁBIS FEMINIZADA EM SUMA

• Elevada quantidade de canabinoides quando comparada com a canábis macho. As estirpes são frequentemente cultivadas para tirar proveito da máxima potência e aroma.
• As sementes são 99,9% feminizadas, portanto, as plantas desenvolver-se-ão, praticamente sempre, para fêmeas.
• Não é preciso confirmar o sexo das plantas, e não há qualquer necessidade de descartar as plantas macho.
• As estirpes feminizadas são habitualmente estirpes fotoperiódicas, o que significa que dependem do ciclo de luz.

Na Royal Queen Seeds, todas as sementes feminizadas são etiquetadas e categorizadas como tal, para que não fique confuso quando efetua uma compra.

QUEM UTILIZA ESTIRPES FEMINIZADAS E PORQUÊ?

As sementes feminizadas de alta qualidade no mercado dos dias de hoje produzem com maior frequência plantas ricas em THC. Sendo o principal componente psicotrópico na canábis, todos os tipos de utilizadores de canábis gostam do canabinoide devido à moca poderosa que este proporciona.

Os utilizadores recreativos gostam da moca pedrada, relaxante, eufórica e revitalizante induzida pelas estirpes feminizadas. Considerando a ampla variedade de opções no mercado, os utilizadores podem usufruir de algum tempo de descontração durante a noite ou desfrutar de um revitalizar energético durante o dia, dependendo daquilo que procuram. Dado que muitas estirpes apresentam diferentes rácios de canabinoides, terpenos e genéticas sativa/indica, também pode experimentar diferentes estirpes feminizadas para encontrar a que mais lhe agrada em termos de efeito.

Aqueles que utilizam a canábis para fins holísticos também optam pelas estirpes feminizadas devido ao seu efeito pronunciado. Eles podem considerar que o THC os deixa de bom humor ajudando-os a desanuviar em situações tensas, ou que atenua simplesmente qualquer sintoma com que estejam a lidar. Os utilizadores também reportam que o THC os ajuda a passar uma boa noite de sono, além de outros benefícios.

QUEM UTILIZA ESTIRPES FEMINIZADAS E PORQUÊ?

ESTIRPES SATIVA, INDICA, HÍBRIDA E RUDERALIS

Há alguns tipos distintos, ou subespécies de canábis. As duas principais categorias são a sativa e a indica, mas também devemos considerar as estirpes híbridas e ruderalis.

No passado, cria-se que os efeitos da canábis eram contingentes à família da qual a estirpe provinha — quer seja mais indica ou sativa. Pensava-se que as indicas produziam um sentimento de moca "mais pesada" enquanto que as sativas produziam uma moca energizante, mais adequada para o uso diurno. Recentemente, contudo, as evidências têm sugerido que o efeito de uma determinada estirpe tem mais a ver com o perfil terpeno de uma estirpe — não com a subespécie a que pertence.

Dito de outra forma, algumas indicas podem ter um efeito revitalizante e algumas sativas podem ser relaxantes, o que significa que nem tudo é tão direto como outrora se acreditava ser. Para descobrir os efeitos em particular de uma estirpe, recomenda-se que leia as descrições das estirpes antes de efetuar a compra.

Onde há diferenças mais distintas entre subespécies, contudo, é no seu crescimento e morfologia:

As indicas são baixas e cerradas, com folhas largas. São frequentemente bastante robustas e crescem em muitos ambientes.

As sativas crescem mais, são mais esguias e têm folhas finas e alongadas. Estas plantas adoradoras do sol saem-se habitualmente melhor num clima quente. O tempo de floração é tipicamente mais longo quando comparado com as indicas.

A maioria das estirpes de canábis dos dias de hoje não são simplesmente indicas ou sativas. Ao invés, estas são híbridas, combinando características indica e sativa e, assim, as suas características de crescimento variam.

Há outra, frequentemente esquecida, subespécie a considerar, designada por canábis ruderalis. As estirpes ruderalis são "tipo erva daninha" e crescem livremente nas regiões do norte como a Sibéria. Algo que é interessante, contudo, é que a ruderalis é naturalmente autoflorescente. Em virtude disto, os produtores podem utilizar a genética ruderalis para criarem variedades autoflorescentes de estirpes fotoperiódicas clássicas.

CANÁBIS DE FLORAÇÃO RÁPIDA

Muitas estirpes de canábis requerem pelo menos 60–70 dias para que os seus brotos amadureçam, com algumas a demorarem ainda mais. Para cultivadores em regiões com verões curtos e outonos chuvosos, isto pode ser problemático. Se as plantas precisarem de ser mantidas no exterior no final de outubro, os brotos estão destinados a ficarem húmidos e bolorentos.

As estirpes de floração rápida têm sido produzidas para ajudar com este problema. Estas podem estar prontas para serem colhidas decorridas apenas 6-7 semanas de floração, o que significa que os cultivadores podem colhê-las durante meados/ final de setembro com baixo risco de destruírem a sua colheita.

Na maioria das vezes, as estirpes de floração rápida são produzidas cruzando uma estirpe fotoperiódica com uma ruderalis/autoflorescente. No entanto, as estirpes de floração rápida são diferentes das estirpes autoflorescentes, sendo que as últimas florescem tendo como base a idade ao invés do ciclo de luz.

A IMPORTÂNCIA DOS TERPENOS NA CANÁBIS

Conforme mencionámos, a investigação mais recente sugere que os efeitos característicos da canábis não se devem apenas aos canabinoides, sendo provavelmente também influenciados pelos compostos aromáticos conhecidos como terpenos. Ainda é necessário efetuar mais investigação sobre este tema, mas isto explicaria o porquê de algumas estirpes, apesar de terem rácios idênticos de THC:CBD, terem efeitos diferentes.

Aquilo que se sabe, contudo, é que os terpenos (limoneno, mirceno, pineno, etc.) conferem às estirpes de canábis os seus paladares e aromas distintos. É devido a estes que uma estirpe de canábis terá um aroma frutado enquanto outra terá um aroma cítrico, floral, amargo ou almiscarado.

A IMPORTÂNCIA DOS TERPENOS NA CANÁBIS

COMO CULTIVAR SEMENTES FEMINIZADAS

Já mencionámos como as sementes feminizadas são mais fáceis de cultivar do que as sementes normais. Isto pode parecer o suficiente para ficar fascinado, mas não se descuide. Tal como com as plantas fotoperiódicas macho, o cultivo de canábis feminizada também apresenta desafios específicos.

INTERIOR VS EXTERIOR

Quando cultiva no interior, é necessário ajustar manualmente os seus horários de luz/escuridão. Os cultivadores fá-lo-ão habitualmente quando as plantas atingiram uma altura adequada (cerca de ½ da altura final pretendida). O motivo é bastante simples: as plantas alongar-se-ão habitualmente logo no início da sua fase de floração, portanto, precisam de espaço para crescerem adequadamente.

Para iniciar a floração da canábis feminizada no interior, o cultivador trocará a iluminação para um horário 12/12. O período de escuridão mais longo estimulará as condições de outono e espoletará as plantas a iniciarem a floração.

No exterior, é fundamental plantar a sua canábis feminizada num clima ideal e durante a estação certa. Porquê? Porque as horas de luz solar mudam consoante a estação, e as suas plantas precisam de um horário específico para prosperarem. Para satisfazer esta necessidade, habitualmente quererá plantá-las na primavera (quando não há geada) e colhê-las no outono.

DE QUANTO TEMPO PRECISO PARA CULTIVAR CANÁBIS FEMINIZADA?

Quer esteja a cultivar no interior ou no exterior, o momento exato, como sempre, depende da estirpe. Algumas variedades, como as indicas, crescem relativamente rápido, com períodos de floração curtos de 6–7 semanas. Outras estirpes, como as Hazes, demoram o dobro do tempo a florescer.

Se quiser proceder com a colheita o mais rapidamente possível, plante variedades de floração rápida ou autoflorescentes feminizadas. Algumas destas estão prontas decorridos apenas 60 dias após a germinação.

PODE CULTIVAR DIFERENTES ESTIRPES FEMINIZADAS NO MESMO ESPAÇO DE CULTIVO?

É possível cultivar diferentes estirpes no mesmo espaço, mas requer uma certa aprendizagem.

Há inúmeros motivos para isto. Diferentes estirpes podem crescer a diferentes alturas, têm requisitos distintos em termos de nutrientes e estarão prontas em alturas diferentes. Também pode precisar de utilizar técnicas de treino da planta (poda, corte, etc.) para manter uma cobertura uniforme sob a sua luz de cultivo.

TEMPERATURA E HUMIDADE IDEAL PARA CULTIVAR CANÁBIS FEMINIZADA

Geralmente, a canábis feminizada gosta de temperaturas moderadas (sensivelmente 21 °C) para usufruir de um crescimento saudável. Quaisquer extremos podem levar a um crescimento atrofiado, entre outros problemas. Para melhores resultados, caso não viva num local com o clima ideal, cultive num ambiente onde tem controlo sobre a temperatura. Se necessário, utilize um aquecedor e/ou um sistema de ar-condicionado.

O nível de humidade ideal para as suas plantas de canábis dependerá da sua fase no ciclo de vida. Por norma, as plântulas e plantas na fase vegetativa preferem um ambiente mais húmido. Reduza a humidade relativa para 40–50% quando as plantas estiverem a florescer para reduzir o risco de formação de bolor.

QUE TIPO DE SOLO DEVE UTILIZAR PARA AS SEMENTES FEMINIZADAS?

A canábis sai-se melhor quando é cultivada num solo rico em nutrientes, bem arejado e bem drenado. A maioria dos solos adquiridos nas lojas já está otimizado para cultivar canábis. Se estiver a utilizar solo natural, pode acrescentar-lhe perlita, coco, vermiculita, composto ou vermicompostagem, para que fique mais adequado para o cultivo de erva.

QUE TIPO DE SOLO DEVE UTILIZAR PARA AS SEMENTES FEMINIZADAS?

QUE TIPO DE NUTRIENTES DEVE UTILIZAR NAS PLANTAS DE CANÁBIS FEMINIZADAS?

Para um crescimento saudável, a sua planta de canábis feminizada precisará de vários nutrientes. Inicialmente, esta precisará de nitrogénio, fósforo e potássio, os três principais "macronutrientes". Também irá precisar de micronutrientes incluindo o cálcio, ferro, magnésio, cobre, entre muitos outros.

Os nutrientes comerciais de canábis contêm habitualmente todos os macro e micronutrientes necessários, mas certifique-se de que alimenta a planta seguindo as doses recomendadas (ou ligeiramente menos).

Tenha em consideração que a canábis tem diferentes requisitos nutricionais durante as fases vegetativa e de floração. Por este motivo, os fertilizantes de canábis são frequentemente disponibilizados em duas variedades - uma para o crescimento e outra para a floração.

QUE TIPO DE ÁGUA PRECISAM AS PLANTAS DE CANÁBIS FEMINIZADA?

Quando rega canábis cultivada no solo, é importante que a sua água/solução de nutrientes tenha o nível de pH ideal de sensivelmente 6–7. Caso contrário, as suas plantas não conseguirão absorver os nutrientes ainda que estes se encontrem presentes. Felizmente, pode ajustar a sua água da torneira para apresentar o pH correto com algumas gotas de produtos com mais ou menos pH.

TREINO DA PLANTA — O QUE É E PORQUE DEVE FAZÊ-LO?

É através do treino da planta que os cultivadores mantêm a sua canábis no tamanho e forma adequados. Este envolve várias técnicas, incluindo poda superior, poda normal, super poda, poda delicada e/ou desfolhar as suas plantas. A finalidade de todas estas, de uma forma ou de outra, é otimizar o espaço de cultivo e a exposição à luz para obter melhores rendimentos.

O treino pode stressar a sua canábis e pode prejudicar temporariamente o seu crescimento. Por esse motivo, a maioria dos tipos de treino não são adequados para autoflorescentes feminizadas devido ao seu período de vida limitado. A canábis fotoperiódica feminizada, contudo, não tem esta limitação e consegue recuperar facilmente.

OUTRA TERMINOLOGIA E CONCEITOS ESSENCIAIS

Sabemos que há inúmeros termos associados à canábis, e estes são fáceis de confundir. Para clarificar tudo, decidimos terminar este trecho esmiuçando a terminologia e conceitos essenciais relativos à canábis.

COMO SÃO PRODUZIDOS OS CANABINOIDES NA CANÁBIS

Os canabinoides, tais como o THC, CBD e muitas dezenas de outros, não aparecem simplesmente do nada enquanto a planta está a crescer. De facto, há imensa química interna envolvida na sua criação.

Um dos primeiros passos no processo é a produção de um químico designado por pirofosfato de geranilo dentro da planta. Esta substância interage depois com o ácido olivetólico para criar o ácido canabigerólico, ou CBGA.

Este composto é o bloco basilar para os principais canabinoides, mas o processo ainda não está concluído. Em primeiro lugar, o CBGA precisa de se combinar com enzimas específicas e, através da fotossíntese, convertê-las nas formas ácidas dos canabinoides que conhecemos. Chegados ao THCA, CBDA e CBCA, estamos quase no término da viagem da criação dos canabinoides.

Só resta mais um passo para transformar estes ácidos canabinoides em THC, CBD e CBC, respetivamente: a descarboxilação. Este termo refere-se simplesmente ao processo de aquecer os ácidos canabinoides para torná-los canabinoides "ativos". Isto, como é óbvio, acontece automaticamente quando fuma ou vaporiza.

COMO SÃO PRODUZIDOS OS CANABINOIDES NA CANÁBIS

COMO O THC AFETA O SISTEMA ENDOCANABINOIDE

Afinal, como é que os canabinoides funcionam quando entram no seu sistema?

Os dois canabinoides mais comummente reconhecidos são o THC e o CBD. O THC é responsável pela moca característica da canábis, enquanto o CBD, embora suscetível de ter vários efeitos benéficos, não induz uma moca.

Estes canabinoides, juntamente com mais de 100 outros na canábis, interagem direta ou indiretamente com o sistema endocanabinoide do corpo humano. O sistema endocanabinoide, que de modo geral é constituído pelos recetores canabinoides, media muitas funções fisiológicas, incluindo o humor, sono, resposta imunitária, entre outras. Os endocanabinoides (que produzimos nos nossos corpos), juntamente com os canabinoides das plantas, podem ligar-se a estes recetores para produzirem os respetivos efeitos associados.

Um dos principais endocanabinoides é a anandamida, também conhecida como "molécula da felicidade". Esta funciona como um neurotransmissor, enviando mensagens entre as células nervosas. Estas interações influenciam o prazer, memória, raciocínio, concentração, perceção sensorial, perceção de tempo, entre outros.

O THC, conforme faz transparecer, tem uma estrutura química muito similar à anandamida. E, tal como esta, liga-se aos recetores canabinoides, especialmente os recetores CB1. Graças a estas vias, o consumo de canábis pode afetar-nos de múltiplas formas profundas.

PORQUE É QUE A CANÁBIS PRODUZ TERPENOS?

A canábis, tal como outras plantas, produz estas substâncias aromáticas como uma defesa natural contra as pragas e para atrair os polinizadores. Isto também é evidenciado pela tendência da canábis para desenvolver compostos aromáticos mais intensos quando lida com uma infestação.

O QUE É A SINSEMILA?

Sinsemilla” é uma palavra espanhola que significa "sem sementes”. A palavra surgiu há muito tempo, quando muita da erva no mercado-negro era de fraca qualidade e repleta de sementes. Nessa altura, a erva “sinsemilla” era realmente especial, e era um sinónimo de produto de elevada qualidade.

Nos dias de hoje, com a genética moderna e o advento das sementes de canábis feminizada, os brotos com semente tornaram-se felizmente raros. Hoje em dia, praticamente toda a canábis decente é sinsemilla, portanto, a palavra perdeu o seu significado original. É bom ter em consideração, contudo, que ainda é às vezes utilizada para descrever canábis de qualidade.

O QUE SÃO AS HERMAFRODITAS?

Além dos dois sexos típicos da planta de canábis, a sua planta também poderá ser uma hermafrodita. Caso isto aconteça, a planta exibirá tanto características fêmea como macho. Nomeadamente, à medida que a planta amadurece, esta desenvolverá tanto brotos como sacos de pólen. Como resultado, pode acabar com rendimentos fracos de erva de fraca qualidade e repleta de sementes.

O motivo mais comum para isto acontecer é o stresse da planta. Pode dever-se a uma interrupção no período de escuridão durante a floração, que espoleta novamente o estado vegetativo, ou pode dever-se a outros fatores de stresse no ambiente, incluindo pragas, temperaturas extremas e alterações na humidade.

O cultivo de canábis num ambiente controlado é a melhor forma de prevenir isto. Mantenha o stresse da planta no mínimo e reduzirá significativamente as probabilidades de hermafroditismo.

O QUE SÃO AS HERMAFRODITAS?

O QUE SÃO AS AUTÓCTONES?

As autóctones são tipos de canábis que se desenvolveram no seu ambiente natural. Também podemos dizer que estas são estirpes de canábis puras e originais. Algumas autóctones originaram na região Hindu Kush do Afeganistão e Paquistão, mas também podem ser encontradas em África, na Jamaica, Ásia, América do Sul e Rússia.

PRINCIPAIS FAMÍLIAS DE ESTIRPES DE CANÁBIS FEMINIZADA

Há centenas de híbridas feminizadas no mercado, mas quase todas provêm de um punhado de famílias principais. Tal como as famílias humanas, cada uma tem uma linhagem de características comuns que lhe dirão de onde provém.

KUSH

As estirpes de canábis com genética Kush terão aromas húmidos e — dado que são habitualmente indica — tendem a oferecer um efeito profundamente relaxante que o prende ao sofá. Dependendo da variedade, também apresentará terpenos com aromas terrosos, almiscarados, de pinho e cítricos.

HAZE

As estirpes Haze são para os fãs sativa que apreciam uma moca cerebral inebriante e um dia ativo. O seu perfil de terpenos é composto por muitos paladares, desde doce e de limão até café e chocolate.

AFGHAN

A canábis com a genética Afghan tem habitualmente paladares picantes, terrosos e frescos. A maioria das estirpes inclinam-se para o lado indica, portanto, proporcionar-lhe-ão uma moca relaxante, feliz e que o prenderá ao sofá, perfeita para desfrutar durante a noite.

GELATO

As estirpes feitas a partir da Gelato, um excelente exemplo da melhor erva californiana, brilham habitualmente com um aroma frutado estilo sobremesa. Muitas destas são híbridas, ou pelo menos parecem, por conseguinte, tanto pode esperar uma moca cerebral eufórica como uma sensação de relaxamento.

COOKIES

As estirpes Cookies misturam um efeito eufórico e social com um toque de relaxamento físico. Conte com aromas terrosos e doces com sabores a biscoitos, tudo misturado numa combinação de deixar água na boca.

BLUEBERRY

As estirpes descendentes da Blueberry apresentam frequentemente um perfil terpeno com notas ricas, doces e de bagas frutadas. Com a genética proveniente da costa oeste dos EUA, as estirpes Blueberry são reconhecidas pelos seus efeitos profundamente relaxantes e tranquilizantes.

PURPLE

As estirpes de canábis feitas com genética Purple exibem cores avermelhadas/roxas que são mais vívidas com as temperaturas mais frescas da noite na fase final da floração. O perfil terpeno combina aromas húmidos de haxixe com notas terrosas, a limão e pinho. Dado que a maioria das estirpes Purple são indicas, os seus efeitos são habitualmente narcóticos e relaxantes.

BANANA

A Banana original é de predominância indica (70%) e famosa pelo seu perfil terpeno rico, que demonstra aromas e paladares doces de banana. A estirpe é massivamente potente (25% THC) e proporciona um efeito relaxante poderoso. As suas descendentes, felizmente, partilham estes traços.

SKUNK

A Skunk é acarinhada por muitos aficionados da canábis devido ao seu aroma "azedo". Esta estirpe também foi utilizada como a base para uma ampla variedade de estirpes no mercado moderno. As estirpes que apresentam genética Skunk têm tipicamente um efeito sonolento com uma nota feliz e revitalizante.

CHEESE

A Cheese original, uma híbrida de predominância indica feita a partir das supracitadas Skunk e Afghan, é famosa pelo seu aroma pungente de queijo curado. As estirpes derivadas da Cheese brilham com notas olfativas típicas do queijo e um efeito equilibrado, combinando mocas eufóricas com efeitos de pedra suavizante.




TEM 18 ANOS OU MAIS?

Os conteúdos da RoyalQueenSeeds.com são aconselháveis apenas para adultos e reservados a pessoas com idade legal.

Certifique-se que conhece as leis do seu país.

Ao clicar ENTRAR, confirma
que tem
18 anos ou mais.