A canábis contém centenas de fitoquímicos fascinantes. Os canabinoides ocupam habitualmente a ribalta, mas os terpenos trabalham nos bastidores para produzirem aromas revigorantes e paladares tentadores. Além de sustentar o lado sensorial da canábis, os terpenos têm um enorme impacto no efeito de cada estirpe, modulando a moca da canábis.

O que são os terpenos?

Os terpenos são os que dão às estirpes de canábis os seus paladares distintos. Eles são os óleos aromáticos que a planta produz e que fazem com que o paladar de uma estirpe seja frutado ou mentolado, que lhe dão uma aroma terroso ou cítrico ou que fazem com que tenha um aroma a queijo.

As plantas de canábis produzem terpenos nas mesmas glândulas onde produzem o THC e o CBD, contudo os terpenos não receberam, até bem recentemente, muita atenção. Os cultivadores e investigadores médicos focaram-se no passado no THC e no CBD, o que significa que o conhecimento sobre os terpenos e a sua função não é amplamente divulgada. Apenas recentemente ficou-se a saber que os terpenos desempenham um papel importante quando se trata dos efeitos únicos da marijuana.

Porque é que as plantas produzem compostos aromáticos tais como os terpenos?

Tal como é frequentemente o caso no mundo das plantas, os terpenos são uma das formas das plantas defenderem-se dos predadores. Ao excretarem um aroma pungente, as plantas conseguem repelir determinados insetos, mas também podem atrair os insetos benéficos de que precisam para a polinização.

A quantidade e o tipo de terpenos que a planta de canábis produz dependem de vários fatores. A mesma estirpe nem sempre produz necessariamente os mesmos compostos orgânicos. Isto pode depender de fatores como o clima, o solo e os fertilizantes que são utilizados, da idade da planta, bem como de alguns outros fatores.

Nos dias de hoje, já descobrimos cerca de 100 diferentes terpenos na marijuana. Cada estirpe em particular tem os seus tipos e combinações únicas de terpenos em diferentes concentrações.

O aspeto mais interessante sobre os terpenos, contudo, não é o facto de que os terpenos são responsáveis pela multiplicidade de paladares e aromas distintos da canábis, mas sim o facto de que os terpenos funcionam sinergeticamente com os canabinoides, tais como o THC. Um indicativo disto é que algumas estirpes têm exatamente os mesmos níveis de THC e CBD, contudo os seus efeitos podem ser bastante diferentes entre si. Os investigadores afirmam agora que são os terpenos que são responsáveis pelos efeitos únicos de uma estirpe.

Porque é que as plantas produzem compostos aromáticos tais como os terpenos?

A Diferença Entre os Canabinoides e os Terpenos

A canábis produz centenas de diferentes fitoquímicos que se enquadram em várias categorias. Encontrados um pouco por toda a natureza, os terpenos sustentam os aromas únicos das florestas de pinheiros, das cascas de laranja e da canábis acabada de curar.

As plantas de canábis produzem mais de 200 terpenos diferentes, e cada cultivar tem diferentes quantidades de cada. Estas moléculas aromáticas contribuem para os diversos paladares e aromas de diferentes estirpes.

A canábis também produz uma classe de químicos mais única: os canabinoides. Embora os membros deste grupo se encontrem noutros locais na natureza, as moléculas como o THC e o CBD são exclusivas da erva. Estas moléculas sustentam os efeitos únicos da erva, desde experiência psicoativas alimentadas pelo THC até aos efeitos translúcidos e equilibradores do CBD.

Os canabinoides e os terpenos afetam o corpo de diferentes formas. Canabinoides como o THC ligam-se diretamente aos recetores canabinoides espalhados por todo o corpo para produzirem os seus efeitos, enquanto a maioria dos terpenos interage com diferentes recetores.

Contudo, as moléculas como o cariofileno tanto são terpenos como canabinoides. O químico fornece aromas apimentados e terrosos e também se liga diretamente com os recetores CBD do sistema endocanabinoide.

Como funcionam os terpenos?

Os terpenos têm uma miríade de formas de atuação. Além de complementarem a experiência da canábis com paladares e aromas agradáveis, estas moléculas também desempenham um enorme papel nos efeitos de cada estirpe.

Os cientistas que estudam a canábis identificaram uma interação entre os terpenos e os canabinoides. As moléculas destas duas famílias aparentam funcionar em conjunto para produzirem efeitos reforçados — um fenómeno conhecido como o efeito entourage.

Por exemplo, o limoneno, o cariofileno e o pineno funcionam lado a lado com o THC para produzirem várias benefícios; e o CBD e o linalol também têm um relacionamento sinergético especial. Os terpenos também produzem efeitos inteiramente seus. Uma vasta quantidade de estudos documenta os efeitos fascinantes destas moléculas isoladas.

Os terpenos fazem-me ficar mocado?

Os terpenos não exercem a mesma moca psicoativa que o THC exerce. No entanto, eles funcionam de formas mais subtis[1] para alterarem o humor através da interação com os sistemas de produção de serotonina e dopamina. Estas moléculas também influenciam a moca gerada pelos canabinoides e "ajustam-na" de formas notáveis. Por exemplo, terpenos como o limoneno transmitem uma sensação refrescante e estimulante. Contrastando, o mirceno fornece um efeito mais relaxante e pedrado.

Os terpenos são detetados num teste de despistagem do consumo de drogas?

Não! Está completamente seguro com os terpenos quando se trata de um teste de despistagem do consumo de drogas no local de trabalho. Estas moléculas encontram-se em todo o lado, e é muito provável que ingira imensos terpenos diariamente sem sequer se aperceber. Os terpenos entram no seu sistema a cada gota de sumo de laranja e de cada vez que inspira enquanto caminha pelos bosques.

Terpenos: a Próxima Fronteira para a Canábis Medicinal

Os terpenos têm o potencial de alterar por completo a indústria da canábis. Na realidade, eles já estão a provocar bastante alarido. A descoberta do relacionamento sinergético entre os canabinoides e os terpenos lançou os dados para um futuro de extratos cuidadosamente personalizados para condições e experiências específicas.

Muitos consumidores de canábis já estão a dar a sua atenção aos extratos de espetro integral que contêm mais do que apenas canabinoides. Estas misturas contêm níveis elevados de terpenos, flavonoides, entre outros fitoquímicos da canábis, que convergem para fornecer um efeito holístico.

Nos dias de hoje, os fabricantes estão a dar cada vez mais atenção a misturas personalizadas que tiram partido do potencial do efeito entourage para oferecerem maior alívio sintomático.

Por exemplo, a investigação inicial[2] sugere que o limoneno pode reforçar os efeitos antioxidantes do THC, enquanto o linalol poderá reforçar as propriedades de relaxamento muscular do canabinoide. Do mesmo modo, o linalol parece reforçar o potencial do CBD em reduzir as sensações de nervosismo.

Apesar destas descobertas interessantes, a investigação ainda está a dar os primeiros passos. Com mais de 200 terpenos e 100 canabinoides na planta de canábis, o futuro da investigação sobre o efeito entourage irá certamente desvendar algumas descobertas incríveis.

Terpenos: a Próxima Fronteira para a Canábis Medicinal

Os terpenos determinam os efeitos das indica ou das sativa?

Dado que se encontra a ler este artigo, provavelmente sabe qual é a diferença entra as estirpes de canábis indica e sativa. Esta pepita de sabedoria convencional dominou o espaço da canábis durante décadas. Tradicionalmente, as estirpes indica descrevem as variedades que o deixam pedrado, enquanto os cultivares sativa são descritos como energéticos e cerebrais.

No entanto, os cientistas que estudam a canábis escrutinaram recentemente este paradigma. O modelo tradicional associa estes atributos a fatores genéticos e divide as estirpes indica e sativa em diferentes subespécies da planta.

Todavia, as descobertas mais recentes associam os efeitos de uma estirpe o seu perfil canabinoide e terpeno específico. Embora os títulos indica e sativa estejam certamente correlacionados com a morfologia de uma estirpe, estes não determinam necessariamente o perfil químico das mesmas.

O THC desempenha o papel do constituinte ativo nas estirpes de canábis psicoativas. No entanto, porque é que diferentes estirpes produzem diferentes mocas? Os terpenos são a chave para a resposta. Através do efeito entourage, os terpenos determinam se uma moca será física e pedrada ou cerebral e estimulante.

Este novo entendimento da canábis levou a que alguns investigadores descartassem inclusive por completo a ideia das estirpes, dado que plantas do mesmo cultivar também podem variar no nível de terpenos. Ao invés, eles sugerem um novo paradigma de "quimovares[3]”, onde as plantas são categorizadas tendo como base os seus perfis fitoquímicos únicos e subsequentes efeitos.

Calcular o Conteúdo de Terpenos nas Plantas

Agora que já sabemos que os terpenos têm um grande impacto no efeito de uma estirpe, como é que podemos descobrir a quantidade e tipo de terpenos nas nossas plantas. A resposta é simples — a ciência. Os técnicos de laboratório conseguem determinar o conteúdo de terpenos de uma planta individual analisando uma amostra através de vários procedimentos de testagem.

Tanto a cromatografia líquida e gasosa conseguem separar os fitoquímicos num lote de erva, permitindo que os técnicos meçam a quantidade de cada terpeno e canabinoide com elevada precisão. Contudo, praticamente nenhum cultivador casual tem acesso a este tipo de kit, já para não falar do conhecimento necessário para utilizá-lo.

Felizmente, os bancos de sementes de maior reputação fornecem dados de testagem aos seus clientes. Sempre que estiver a comprar sementes novas, navegue pela página e procure as percentagens de terpenos e canabinoides. Estes números estão sujeitos a flutuações tendo como base os fatores ambientais, mas ainda fornecem uma boa ideia do paladar e sensação que o produto final lhe transmitirá.

Calcular o Conteúdo de Terpenos nas Plantas

É possível aumentar a produção de terpenos?

A genética desempenha uma função importante no conteúdo de terpenos de uma estirpe. Os produtores de canábis combinam ativamente os perfis de terpenos pretendidos para criarem estirpes que possuem uma mistura específica. No entanto, os fatores ambientais podem fazer variar a quantidade de um terpeno em específico presente numa planta de canábis.

Os cultivadores podem tirar partido destas pistas influenciadoras para aumentarem os níveis de terpenos, melhorando subsequentemente o paladar, o aroma e os efeitos de uma colheita. Os cultivadores podem afinar vários métodos chave para aumentarem os níveis de terpenos, incluindo:

  • Stresse adequado
  • Iluminação correta
  • Temperaturas ideais
  • Lavar antes de colher
  • Secagem e cura adequadas

Como são ingeridos os terpenos?

Os terpenos da canábis são principalmente ingeridos através do fumo e do vaping. Cada passa da flor ou do extrato de canábis proporciona um conjunto de terpenos que entram nos pulmões e passam rapidamente para a corrente sanguínea.

Curiosamente, as inovações modernas na indústria da canábis levaram a que os seus consumidores não tivessem mais de depender de estirpes específicos para acederem a determinados terpenos. Vários fabricantes oferecem agora extratos de terpenos — muitos dos quais sã isolados de fontes naturais tais como frutos — que os utilizadores podem acrescentar aos seus extratos para modularem a experiência.

Os terpenos são moléculas voláteis, o que significa que degradam-se a temperaturas relativamente baixas. Por este motivo, o vaping oferece o melhor meio de manter os terpenos intactos. Os vaporizadores funcionam através do aquecimento de condução, do aquecimento de convexão ou de uma mistura dos dois, recorrendo a temperaturas muito mais baixas do que aquelas encontradas na extremidade de um charro em chama. Além disso, os vaporizadores modernos permitem que os utilizadores alterem as configurações de temperatura ao nível de um único digito. Como diferentes terpenos têm diferentes pontos de evaporação, estes aparelhos permitem que os consumidores almejem determinados terpenos em particular.

Como são ingeridos os terpenos?

O que é um perfil terpeno?

Os perfis terpenos referem-se ao cocktail único de moléculas aromáticas em cada planta. Cada estirpe possui um perfil terpeno único composto por diferentes percentagens de diferentes moléculas. Os terpenos mais comuns — cariofileno, mirceno e pineno — surgem habitualmente na linha da frente da maioria dos perfis terpenos, juntamente com centenas de terpenos menos abundantes.

Os Terpenos Comuns na Marijuana

Conforme mencionámos, há mais de 200 diferentes tipos de terpenos na marijuana, contudo, isto não tem em consideração as muitas diferentes variações – tais como a quantidade e a concentração. Um bom exemplo disto seria comparar um limão com uma laranja. Ambos os frutos contêm exatamente o mesmo tipo de terpeno, o limoneno, mas em diferentes concentrações. Uma pequena variação da quantidade é o suficiente para fazer com que o limão tenha uma aroma consideravelmente diferente de uma laranja.

OS 5 TERPENOS MAIS POPULARES QUE PODEMOS ENCONTRAR NA CANÁBIS

MIRCENO
ENCONTRADO EM
  • Manga
  • Lúpulo
  • Tomilho
  • Erva cidreira
EFEITOS
  • Anti-inflamatório
  • Analgésico
AJUDA
COM
  • Dor crónica
  • Cancro
PALADAR
  • Terroso
  • Uva vermelha
RQS STRAINS
LIMONENO
ENCONTRADO EM
  • Hortelã
  • Zimbro
  • Alecrim
  • Pinho
EFEITOS
  • Antidepressivo
  • Ansiolítico
  • Antibacteriano
AJUDA COM
  • Problemas da pele
  • Bronquite
PALADAR
  • Limão
  • Toranja
RQS STRAINS
PINENO
ENCONTRADO EM
  • Árvores
  • Pinho
  • Óleo de alecrim
EFEITOS
  • Anti-inflamatório
  • Sedativo
AJUDA COM
  • Perda de memória de curto prazo
  • Asma
PALADAR
  • Manjericão
  • Aneto
RQS STRAINS
LINALOL
ENCONTRADO EM
  • Fungos
  • Óleo de lavanda
EFEITOS
  • Anti-inflamatório
  • Pedrado
  • Analgésico
AJUDA COM
  • Insónia
  • Dor crónica
PALADAR
  • Ervas finas
  • Flores
RQS STRAINS
CARIOFILENO
ENCONTRADO EM
  • Pimenta preta
  • Alecrim
  • Lúpulo
EFEITOS
  • Psicoativo
  • Ansiolítico
AJUDA COM
  • Ansiedade
  • Depressão
  • Artrite
PALADAR
  • Alecrim
  • Picante
RQS STRAINS

MIRCENO

O mirceno é o terpeno mais comummente encontrado na marijuana, compondo a maioria dos óleos aromáticos em várias estirpes de canábis. O mirceno também pode ser encontrado em algumas outras plantas, tais como o lúpulo. Alguns comparam o aroma do mirceno ao dos cravos-da-índia. Este é conhecido por ter propriedades anti-inflamatórias, antibacterianas e de alívio da dor (analgésicas). O mirceno tem um efeito sedativo, calmante e relaxante. É conhecido por aumentar os efeitos psicoativos do THC.

Terpenos da Canábis

LIMONENO

A seguir ao mirceno, o limoneno é o segundo terpeno mais comum que podemos encontrar na marijuana. Tal como o nome sugere, este tem um forte aroma cítrico. É conhecido pelas suas propriedades antifúngicas e antibacterianas. A investigação sugere que o limoneno também funciona como uma anticancerígeno[4] e que pode ajudar a prevenir o crescimento dos tumores.

O limoneno entra sem dificuldade na barreira sangue-cérebro. É entendido como um auxiliar para aumentar a concentração e atenção mental, além de beneficiar o nosso bem-estar geral. Há evidências anedóticas de que também é benéfico para a saúde sexual. Alguns dos produtos no mercado de hoje em dia utilizam o limoneno para tratar a depressão e a ansiedade. É um repelente natural de insetos, um dos terpenos aromáticos que as plantas utilizam como uma defesa natural contra os insetos e outros predadores. As estirpes Haze são uma ótima fonte deste terpeno.

Terpenos da Canábis

LINALOL

O linalol é reminiscente das flores frescas. Tem um aroma a lavanda floral com notas picantes. Induz um efeito sedativo e tranquilizante e é utilizado para o tratamento do nervosismo e da ansiedade. Pensa-se que tem propriedade analgésicas e anti-epiléticas. A sua eficácia no tratamento de determinados tipos de cancros[5] também está atualmente sob investigação. O linalol é o terpeno que é parcialmente responsável pelos efeitos tranquilizantes e sedativos de determinadas estirpes de canábis.

Terpenos da Canábis

CARIOFILENO

O cariofileno proporciona um paladar a apimentado que é frequentemente encontrado em ervas e especiarias como a pimenta preta. É conhecido por ser um forte anti-inflamatório e analgésico local. Os cravos-da-índia são conhecidos como sendo um remédio natural para as dores de dentes e contêm quantidades significativas deste terpeno. Também se diz que o cariofileno é antifúngico.

Terpenos da Canábis

PINENO

O nome pode ser revelador. O pineno tem uma aroma que faz recordar o pinho e os abetos. Muitas plantas contêm o pineno, por exemplo, o alecrim e a sálvia. Este terpeno é visto como tendo propriedades anti-inflamatórias e antissépticas locais. Também é conhecido como sendo um expetorante e tem um efeito de ampliação dos brônquios. A investigação demonstrou que o pineno pode afetar positivamente a nossa memória. Entre aquelas estirpes de canábis com altos níveis de pineno encontram-se várias estirpes Skunk. O pineno pode aumentar a energia e diz-se que melhora a concentração.

Terpenos da Canábis

TERPINEOL

O terpineol tem o aroma das flores de lima, bem como o cheiro agradável do lilás. É frequentemente utilizado para fazer perfumes e cosméticos. O terpineol é um dos terpenos com um efeito sedativo e relaxante. As estirpes de canábis que têm altos níveis de terpineol também têm frequentemente altas quantidades de pineno. O pineno pode dificultar a deteção do terpineol, apenas pelo cheiro.

Terpenos da Canábis

NEROLIDOL

O nerolidol encontra-se no gengibre, na citronela e no niaouli. É utilizado como um agente aromatizante e na perfumaria. Tem um aroma de madeira e terroso fresco que faz recordar a casca de árvore. Em termos de benefícios terapêuticos, pensa-se que o nerolidol é antifúngico e eficaz para o tratamento da malária. O nerolidol tem um efeito sedativo e relaxante.

Terpenos da Canábis

BORNEOL

O borneol, encontrado mais abundantemente no alecrim, tem um aroma de cânfora fresca e mentolado. Este terpeno tem uma longa história na medicina chinesa, onde é utilizado para o tratamento do stresse e da fadiga. É um anestésico local com propriedades sedativas e antiespasmódicas. Também é um repelente de insetos natural.

Terpenos da Canábis

EUCALIPTOL

O eucaliptol é o terpeno que se encontra em óleos essenciais de eucalipto. Tem um aroma muito fresco e mentolado. Pensa-se que tem propriedades que aliviam a dor juntamente com a sua capacidade de melhorar a concentração e a atenção. Por este motivo, também se encontra frequentemente em plantas que são utilizadas para meditação.

Terpenos da Canábis

HUMULENO

O humuleno acrescenta notas com aroma de madeira, terrosas e picantes a determinadas estirpes de canábis. Muito provavelmente, estas estirpes também fazem-no recordar da sua IPAs favorita. Afinal de contas, o humuleno ocorre em altos níveis no lúpulo utilizado para produzir estas deliciosas ales. Além do paladar incrível, o humuleno exerce um efeito suavizante que proporciona um sentimento de relaxamento e tranquilidade.

Terpenos da Canábis

CANFENO

Frequentemente encontrado em baixas quantidades na maioria das estirpes, ainda assim, o canfeno faz-se sentir no paladar e aroma destas variedades. O químico liberta um aroma terroso e a pinho pungente, acrescentando qualidades refrescantes e equilibradoras à mistura. Ao que tudo indica, este terpeno também aparenta suavizar a pele e melhorar as propriedades antioxidantes.

Terpenos da Canábis

GERANIOL

O geraniol ocorre em inúmeras espécies vegetais, da erva cidreira e das cenouras até aos mirtilos e à canábis. O terpeno acrescenta paladares deliciosos de frutos, flores, doçura e citrinos às flores de canábis, tornando as variedades ricas em geraniol populares entre os utilizadores que têm o paladar em alta conta.

Terpenos da Canábis

BISABOLOL

Sendo um terpeno menor, não encontrará qualquer estirpe rica em bisabolol (pelo menos ainda não). No entanto, o terpeno ainda consegue produzir efeitos notáveis. Além de ser responsável por alguns dos efeitos relaxantes da camomila, o bisabolol contribui com um aroma tipo mel e um efeito profundamente relaxante para vários cultivares.

Terpenos da Canábis

OCIMENO E GUAIOL

O ocimeno e o guaiol são dois dos terpenos mais abundantes que podemos encontrar na canábis. Apesar da sua natureza comum, a investigação ainda não conseguiu aprofundar os seus efeitos únicos. Não obstante, sabemos que estes acrescentam paladares de deixar água na boca às estirpes de canábis, incluindo notas potentes de doçura, madeira e pinho.

Terpenos da Canábis

CARENO

Gosta dos paladares do almíscar, do limão e da doçura quando fuma erva? Nesse caso, provavelmente tem estado a inalar imenso careno. A investigação inicial sugere que o careno exerce um efeito positivo no sistema nervoso, ajudando possivelmente a melhorar a memória.

Terpenos da Canábis

External Resources:
  1. Cannabis Pharmacology: The Usual Suspects and a Few Promising Leads - PubMed https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov
  2. Taming THC: potential cannabis synergy and phytocannabinoid-terpenoid entourage effects https://www.ncbi.nlm.nih.gov
  3. Cannabis: From Cultivar to Chemovar II—A Metabolomics Approach to Cannabis Classification https://www.liebertpub.com
  4. Chemoprevention and therapy of cancer by d-limonene - PubMed http://www.ncbi.nlm.nih.gov
  5. Linalool exhibits cytotoxic effects by activating antitumor immunity - PubMed http://www.ncbi.nlm.nih.gov
Aviso legal:
Este conteúdo destina-se apenas a fins educativos. A informação fornecida é fruto do trabalho de pesquisa e de recolha realizada a partir de fontes externas.

TEM 18 ANOS OU MAIS?

Os conteúdos da RoyalQueenSeeds.com são aconselháveis apenas para adultos e reservados a pessoas com idade legal.

Certifique-se que conhece as leis do seu país.

Ao clicar ENTRAR, confirma
que tem
18 anos ou mais.